Skip navigation

Category Archives: Meus toc's

até bêbado eu escrevo bem.

 

*ou “consolador”. tanto faz…

Anúncios

me peguei procurando o botãozinho “gefällt mir” no blog de alguém(, o que seria um indicativo de que eu preciso jogar meu facebook fora?), hahaha.

(ou: “ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão“.)

antes de mostrar o fato, a explicação: pura implicância lingüística. não dá, simplesmente NÃO DÁ para ficar inerte diante de uma canção que pergunta “aonde está o meu Senhor?”.

acho um absurdo nosso país ser governado por pessoas que falam “correr risco de vida” e “as pessoas da comunidade em geral”.

mas que merda de irregularidade é essa?:

o céus é azul –> os bonés são azuis
mas:
o céu é azulzinho –> os bonés são azuizinhos

!

tenho certeza que a pessoa que traduz as “sortes” do dia do orkut é a mesma que faz aquelas traduções de filmes “maravilhosas” com que nos deparamos às vezes. e deve ter aprendido alemão pelo instituo universal brasileiro. tomemos o idioma-padrão como o inglês e vejamos como a adaptação alemã corresponde ao tão corriqueiro nas dublagens brasileiras (especialmente as da “versão brasileira: álamo”, com aquela voz medonha parecida com a do cid moreira falando “álamo”) quando a personagem, em seu idioma original, está berrando loucamente “fuck you all!!” e ouvimos “ah, vão todos se ferrar” (sem exclamações).

in English: “Happy events will take place shortly in your home.”

auf Deutsch: “Freu dich, wenn du nach Hause kommst.”

nos outros idiomas, até que não fica ruim:

português: “Em breve você passará momentos felizes em casa.”
français: “Votre foyer connaîtra sous peu des événements heureux.”
italiano: “Nella tua famiglia a breve si verificheranno eventi felici.”
română: “Curând, în căminul dvs. se vor petrece evenimente fericite.”
català (porque eu não mereço terminar o post com o espanhol): “Viuràs experiències agradables amb la teva família.”

eu, fazendo mudança, precisando de ferramenta certa para desmontar minha cama, desço à oficina e a louca lá, insistindo: “não dá nada pra esse moleque não, guilherme [às vezes ela chama de daniel, ela não faz distinções], ele veio tentar me bolinar na boca, mas eu não quis e ele veio esfregar o pinto no meu peito.”, e eu doido pra subir e desmontar a cama, ficando ansioso, e ela, muito atenta: “não adianta ficar coçando a cabeça não, eu sei que você é um safado, seu moleque!, vou contar tudo pro seu irmão [meu vizinho]” and so on. a desgraçada é atenta, além de tudo. sempre alerta. uma louca escoteira que alitera.

sou obrigado a concordar com a lygia fagundes telles: ser louco seria uma solução fácil. mas não estou louco. de fato estava escrito “asseso a internet”.

cazarim dorme fora de casa, far, far away, e resolve acordar cedinho para ir a pé. tão lindo começar a semana com uma caminhada matinal. cazarim não saíra de guarda-chuva e murphy entrou em ação. resolvendo dar vazão a seu lado bruxo, cazarim recebeu a chuva como uma benção. murphy continuou agindo. a calça do cazarim cuja braguilha não parava fechada. cazarim vai se aproximando de casa após 40 minutos de caminhada. e a calça cuja braguilha não fecahava. e murphy. e o terceiro fator complicador: a doida da rua do cazarim cuja boca não parava fechada. e que viu a braguilha aberta antes de ver o cazarim. daí cazarim ouviu a nova mania da louca: aliterações: “- Pode ir embora, você tá preso, você tá proibido de morar aqui! Não venha esfregar o pinto no meu peito!”. cazarim só conseguiu um “bonjour, mademoiselle” antes de subir as escadas.